Entenda o programa Casa Verde e Amarela

O Programa Casa Verde e Amarela é o substituto do Minha Casa Minha Vida, mas ele continua o mesmo propósito: facilitar o acesso à casa própria para as pessoas de baixa renda no país.

Conforme o site Inscrição 2020, o programa é uma criação do governo de Jair Bolsonaro que envolve diferentes tipos de renda e acaba com a renda mais baixa que existia no programa do ex-presidente Lula: o de renda máxima de até R$ 1.800.

Agora, com o Casa Verde e Amarela, essas famílias ficam incluída no Grupo 1, que contam com taxas a partir de 4,25% (no Minha Casa Minha Vida não havia adição de juros).

O Grupo 1 vai até R$ 2 mil, enquanto que o Grupo 2 tem renda de até R$ 4 mil e o Grupo 3 é no máximo até R$ 7 mil. Para quem é da área rural, o Casa Verde e Amarela é diferente, sendo válido para quem recebeu até R$ 84 mil ao ano.

Além disso, há outra mudança que envolve as taxas de juros para as regiões Norte e Nordeste, pois elas são mais baixas do que as outras regiões do país.

Recentemente, inclusive, houve aumento dos subsídios do programa. Com o decreto, o valor máximo passará de R$ 110 mil para R$ 130 mil (áreas urbanas) e de R$ 45 mil para R$ 55 mil (áreas rurais).

Para se inscrever no Casa Verde e Amarela, é preciso contratar o programa de maneira individual, por meio de uma construtora ou por uma entidade organizadora que esteja vinculada ao empreendimento (que seja financiado através do banco público).

A inscrição passará por avaliação da Caixa Econômica Federal, que também indicará as melhores formas de se fazer o financiamento e simulando as opções. Você mesmo pode fazer uma simulação no site oficial da Caixa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.