.
A CESTA BÁSICA, O MÍNIMO LEGAL E O NECESSÁRIO



Saiu a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos em 17 das maiores capitais brasileiras. Em outubro, essa Cesta encareceu em nove dessas cidades e as maiores altas foram as do Recife (4,49%), de Manaus (3,61%) e Fortaleza (2,54%). Entre as sete baixas, destaque para as de Florianópolis (-9,04%), Brasilia (-3,66%) e Vitória (-2,29%).

A cesta mais cara foi a de São Paulo, no valor de R$ 311,55, seguida pelas de Porto Alegre (R$ 305,72) e Manaus (R$ 298,22). As mais baratas foram as de (R$ 206,03), Salvador (R$ 223,00) e João Pessoa (R$ 232,97).

De janeiro a outubro, os maiores aumentos na cesta básica ocorreram em Fortaleza (18,54%), Manaus (16,59%), Natal (16,40%) e Recife (15,88%). Os menores, em Goiânia (1,79%), Vitória (6,70%) e Salvador (6,79%).

De juro e de fato
Com base no custo da cesta mais cara e considerando a Lei do Salário Mínimo, o Dieese estima mensalmente o valor do salário legal, isto é, o que cumpriria os preceitos da lei. Em outubro, esse mínimo legal deveria ter sido de R$ 2.617,33, ou seja, 4,21 vezes o piso vigente (R$ 622).

Na média, em outubro, houve relativa estabilidade no tempo de trabalho exigido de uma pessoa que receba o salário mínimo bruto em vigor para compra da cesta básica: 95 horas e 1 minuto no mês passado e 95 horas e 12 minutos em setembro. Em outubro do ano passado, menos: 94 horas e 4 minutos.

Descontada a parcela do INSS, do mínimo líquido sobram 46,95% para pagar a cesta básica. Em setembro, 47,04%, e em outubro do ano anterior, 46,48% do salário mínimo líquido vigente.

A pesquisa é feita em Manaus, Belém, Aracaju, Recife, Fortaleza, João Pessoa, Natal, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória, São Paulo, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Goiânia e Brasília.

A CESTA DE CADA UM  
(Outubro 2012)
Capital R$
São Paulo 311,55
Porto Alegre 305,72
Manaus 298,22
Rio de Janeiro 295,39
Vitória 293,83
Belo Horizonte 290,61
Curitiba 282,97
Florianópolis 282,80
Brasília 271,55
Belém 268,58
Fortaleza 255,11
Goiânia 251,12
Recife 250,28
Natal 247,18
João Pessoa 232,97
Salvador 233,00
Aracaju 206,03

(05/11/2012)