.
Perguntas



Alcy, Marcelo e Fernando tomam a palavra.

Alcy Inacio Araujo, de Goiânia (GO), filosofa: "ante a exploração dos fracos pelos mais fortes, há possibilidade de existir uma sociedade justa? Trocando em miúdos: tem futuro uma sociedade que pretenda não explorar parte de seus membros?"

Marcelo Caetano, empresário em São Carlos (SP), tem dúvidas sobre "para onde vão as micro e pequenas empresas deste país", ante a carga de impostos, "que não estamos conseguindo pagar mais".

Fernando R. Gonçalves, de Rio Negro (PR), faz um paralelo entre empresas já com "custos reduzidos somados à excelência no serviço/produto fornecido" e a área governamental, com alto custo da máquina administrativa obrigando a cobrança de impostos altíssimos, que, com os juros altos, mão permitem enfrentar a concorrência internacional. Por isso, pensando no custo da máquina, pergunta: "Não estaria na hora de criarmos dispositivos de controle, punição e reembolso para ingerência e má aplicação do bem público? Não estou falando de desvio e corrupção: estou falando de má administração mesmo".

(26/04/2012)